As dicas da THX para ajuste de home theater 3D


As dicas da THX para ajuste de home theater 3D

por John Dahl*

A revolução do 3D já começou e é empolgante, mas também levanta uma série de questões entre os profissionais de equipamentos eletrônicos, a respeito dos ajustes para salas de home theater e da calibragem dos aparelhos. Na THX, estamos trabalhando com nossos parceiros da área de displays – e também com o Consórcio 3D@Home e outras entidades normatizadoras – para educar tanto os profissionais da indústria quanto os consumidores sobre a melhor forma de criar uma experiência 3D de alta qualidade.

Três aspectos principais precisam ser otimizados para se chegar uma experiência agradável em 3D: a qualidade do conteúdo, o display e a sala propriamente dita. Você, que é instalador, não tem muito controle sobre o conteúdo, a menos que esteja pensando em produzir seu próprio filme em 3D. Mas pode influenciar na qualidade do display ou do projetor 3D de seu ciente, além do ajuste correto da sala e da calibragem.

Ao escolher um display, tome como ponto de partida a melhor performance possível com imagens 2D. Depois, verifique se o aparelho tem alta luminosidade. Na reprodução de conteúdos 3D, é importante que o TV ofereça baixo nível de crosstalk (a interferência entre os sinais esquerdo e direito) e seja capaz de sincronizar os óculos de modo confiável – estes devem ter a mesma cor e densidade nas lentes direita e esquerda. Os displays certificados pela THX apresentam todas essas características.

Ao calibrar o display, faça todas as medições usando as lentes do próprio óculos 3D, que um elemento crucial para o desempenho do sistema. Para o posicionamento do display, a THX recomenda um ângulo horizontal entre 36 e 50 graus, em relação à posição central de visualização. Para telas 16:9, caso a distância do sofá seja de 2m70, por exemplo, o tamanho da tela deve ser de 65 a 100 polegadas. Em geral, para assistir a imagens tridimensionais, telas maiores exigem distâncias maiores, para reduzir a fadiga visual.

Seja com TV ou tela de projeção, é interessante manter estreita a área de visualização, evitando que as pessoas sentem-se muito nas laterais da sala. Por que? Toda filmagem em 3D é feita com a câmera de frente para a imagem. Dessa forma, obtém-se melhor visualização também numa posição frontal; posições laterais resultam em imagens menos naturais. Além disso, sabe-se que alguns displays LCD e telas de projeção deterioram significativamente a imagem quando vista de lado.

Outro detalhe importante é a iluminação da sala. As imagens 3D têm apenas 20% a 30% do brilho das convencionais (2D). Deve-se evitar elementos que distraiam a atenção do espectador, como luzes e objetos reflexivos próximo à tela; reflexos de luz incidindo sobre a tela; objetivos muito coloridos e/ou brilhantes; paredes iluminadas e tudo que esteja no campo de visão do usuário. Com menos distrações, é mais fácil “enganar o cérebro” para ser envolvido pela simulação 3D.

Embora seja fácil criar um efeito 3D, recriá-lo no ambiente doméstico não é – a menos que você otimize o rendimento do display e as condições da sala. Observando esses aspectos, você conseguirá produzir o envolvimento e o relaxamento ideais numa boa experiência 3D.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *